Chatbots e o futuro dos negócios

O potencial dessa tecnologia é tão grande que ela é capaz de coletar insights, analisar o comportamento do cliente e aprender com os dados armazenados, apresentando a solução ou o seu encaminhamento em questão de segundos.

10/03/20

A inteligência artificial está transformando a forma como o varejo e o setor de serviços interagem com o consumidor.

Da ficção cientifica para o cotidiano das empresas, os chatbots já são uma estratégia aplicada com resultados impressionantes, sobretudo, dentro de negócios que buscam potencializar o atendimento ao cliente, transformando conversas dinâmicas em experiências positivas para o público.

Cada vez mais familiarizados com esse tipo de interação, os consumidores começam a preferir assistentes virtuais às linhas de espera telefônicas, formulários de sites e e-mails sem previsão de resposta.

Mas afinal, que tipo de atendimento um robô pode oferecer para minha empresa? Praticamente todos.

O potencial dessa tecnologia é tão grande que ela é capaz de coletar insights, analisar o comportamento do cliente e aprender com os dados armazenados, apresentando a solução ou o seu encaminhamento em questão de segundos.

Além disso, através do conceito de omnichannel, os canais de comunicação da empresa interagem entre si criando um atendimento unificado, ou seja, você pode iniciar a conversa no Facebook e encerrá-la no portal da empresa sem perda de informações.

Em função das técnicas de Deep Learning, a máquina também consegue interpretar a comunicação humana, incluindo os erros de português digitados durante o atendimento, o que facilita a inclusão social.

Todavia, talvez o maior avanço (ou contradição) sobre os chatbots é justamente a capacidade de transmitir aspectos humanos ao atendimento. Para alcançar esse objetivo, as empresas que já trabalham com bots definiram o tom de voz, a personalidade e até o nome da assistente virtual. Em algum momento da vida, certamente você foi atendido por sistemas famosos como a Lu do Magazine Luiza, a Gal da Gol, a Bia do Bradesco ou a Siri da Apple.

Todas essas “personas” trabalham para oferecer a melhor experiência aos usuários, em qualquer etapa do funil de vendas. Elas podem por exemplo, esclarecer dúvidas técnicas, realizar o cancelamento de pedidos, rastrear produtos, emitir protocolo, segunda via de boleto ou nota fiscal, calcular de tempo de entrega, enviar orçamentos e ofertas ou até efetivar sozinha uma compra. Estamos diante de um completo sistema de CRM que atua a qualquer hora e dia da semana, reduzindo expressivamente o custo operacional.

Não é por acaso que no próximo ano, 25% dos profissionais usarão diariamente assistentes virtuais empresariais e 20% dos processos de trabalho serão geridos por máquinas, segundo um levantamento da consultoria Gartner.

Sua empresa está pronta para essa tecnologia? Os seus clientes com certeza já estão…

Quer receber notícias?

Cadastre-se


Formulário de solicitação


Pessoa FísicaPessoa Jurídica